Postagens

ENTRE BELEZAS E ASSOMBROS: AS LIÇÕES DE UMA ILHA ENCANTADA NO SUL DO BRASIL

Imagem
Quem está acompanhando as histórias dos sítios naturais sagrados do Brasil aqui no blog já deve ter percebido que esses lugares nem sempre estão associados a histórias bonitinhas. Lugares de energia intensa costumeiramente foram também palco de acontecimentos igualmente fortes.  Esse é o caso do nosso capítulo de hoje, em que vamos embarcar rumo a uma pequena ilha rochosa do litoral de Santa Catarina, de 45 mil metros quadrados, situada no município de Governador Celso Ramos, conhecida pela singela alcunha de “Portal do Diabo” – a Ilha do Anhatomirim.  Não se sabe exatamente porque os índios que habitaram essa região nomearam esse local de imensa beleza natural de Anhatomirim, nome de origem tupi-guarani que pode ser traduzido como “pequena ilha do mau espírito”. Mas essa origem parece profetizar os terríveis eventos que ali iriam acontecer ao longo dos séculos seguintes.  Essa região, onde está também a atual capital do Estado, Florianópolis, foi um dos primeiros locais do sul do Brasil…

ENIGMAS ARQUEOLÓGICOS E O "SAFADISMO" NA ILHA DA MAGIA

Imagem
Na região sul do Brasil, no litoral do Estado de Santa Catarina, a capital Florianópolis, conhecida como “ilha da magia”, é famosa pelos seus encantos e belezas naturais. Poucos sabem, porém, que ela congrega também um dos mais ricos acervos arqueológicos do planeta, com mais de 65 sítios rupestres registrados. Essa ilha guarda também algumas formações enigmáticas, desconhecidas do público geral, pouco compreendidas e polêmicas no meio científico - os chamados monumentos megalíticos. São conjuntos de blocos rochosos (megálitos) que podem incluir menires -  pedras únicas de forma alongada fixadas verticalmente - e dolmens - pedras horizontais colocadas sobre pedras verticais -, dispostos em linhas ou círculos chamados de cromeleques. 
Quem acompanhou a série francesa de histórias em quadrinhos Asterix deve lembrar do seu melhor amigo, Obelix, dotado de uma força sobre-humana depois de cair em um caldeirão de poção mágica druida quando criança. E que além de se divertir atacando legiões r…

AS NASCENTES DO VELHO CHICO E O SUMIÇO DO PADROEIRO DA ECOLOGIA

Imagem
Interligando o sertão brasileiro ao litoral, com mais de 2.800 quilômetros de extensão, o Rio São Francisco possui grande importância econômica, social, ambiental e cultural para os cinco estados e mais 500 municípios que atravessa. Com 168 afluentes, a bacia do terceiro maior rio do Brasil é fonte de vida e riquezas, proporcionando múltiplos usos, como abastecimento de água, irrigação agrícola, pesca, navegação e turismo.  Chamado de Opará pelos indígenas e apelidado de Velho Chico pelos ribeirinhos, a história oficial registra que foi o navegador Américo Vespúcio o primeiro colonizador a vislumbrar a sua foz, em 4 de outubro de 1501, dia dedicado aos festejos de São Francisco de Assis na tradição católica, razão pela qual o rio foi batizado com o nome do santo. Diversas bandeiras ao longo dos séculos XVII e XVIII seguiram sua rota para penetrar no interior do continente. Dessa época o São Francisco recebeu a alcunha de rio da integração nacional, uma unificação territorial calcada, en…

O MORRO DO CHAPÉU E OS TESOUROS DO SERTÃO

Imagem
Encravado no coração do Brasil, no sul do Estado do Maranhão, uma paisagem singular se descortina para quem cruza a BR 230, entre os municípios de Estreito e Carolina. Ainda pouco conhecida no cenário turístico nacional, a Chapada das Mesas, chamada pela alcunha de “pérola do sertão”, guarda tesouros naturais belíssimos e exemplos de força e resistência cultural. Em meio a estradas sinuosas de terra vermelha e a vegetação rústica de transição entre os biomas cerrado, caatinga e floresta amazônica, centenas de formações montanhosas de formas peculiares despontam no horizonte. Chamadas de mesas ou mesetas, são testemunhos de um passado geológico de milhões de anos, resultado da erosão das rochas areníticas. Compõem o cenário paradisíaco grutas, cânions, veredas de buritis, nascentes, rios e belíssimas cachoeiras de águas cristalinas e temperatura agradável, que contrastam com as areias coloridas e as flores das margens em um espetáculo de diversos matizes.
Em meio a esse exuberante mosaico…

YARIPO: O CÉU QUE NOS PROTEGE

Imagem
No extremo norte da Amazônia, na região do Alto Rio Negro, fronteira do Brasil com a Venezuela, encontra-se o ponto culminante do país – o Pico da Neblina. Com 2.994 metros de altitude, a área faz parte do Município de Santa Isabel do Rio Negro, mas é acessada por São Gabriel da Cachoeira/AM, a cidade mais próxima.   Esse cume com forma piramidal e pontiaguda faz parte de um maciço que integra o território tradicional Yanomami, povo indígena que habita essa região, e que o chama de Yaripo ou “serra dos ventos e das tempestades”, em uma tradução aproximada.  Essas montanhas foram “descobertas” pelos näpe (como os Yanomami se referem aos “não índios”) por volta de 1950. Mas foi somente na década seguinte que se demarcou essa parte da fronteira, confirmando a localização do Pico da Neblina em território brasileiro e aferindo sua altitude, alçando-o a ponto culminante do país – título conferido até então ao Pico da Bandeira, na divisa do Espírito Santo com Minas Gerais.  De difícil acesso, o…